Artigos e Notícias

RIO - A Monte Carlo Joias é a nova dona da marca Natan, tradicional joalheria carioca que teve falência decretada em abril do ano passado. O juiz Fernando Viana, da 7ª Vara Empresarial do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, homologou anteontem a venda. A Monte Carlo ofereceu R$ 911 mil pela marca, numa audiência pública com propostas em envelopes fechados.

Fundada nos anos 1950 no Rio, a Natan chegou a contar com mais de uma dezena de lojas em sete estados do país. Enfrentava dificuldades financeiras desde 2006. O alto endividamento bancário levou a empresa à recuperação judicial, em junho de 2012. Na ocasião, as dívidas da joalheria beiravam R$ 15 milhões.

AQUISIÇÃO PERMITIRÁ EXPANSÃO NA CLASSE A

Com a aquisição, a Monte Carlo pretende ampliar sua atuação junto ao público classe A, trazendo de volta ao mercado, a partir do ano que vem, uma marca já conhecida pela qualidade e o design sofisticado em joias.

Queremos resgatar e reviver a marca da Natan, que sempre foi referência em tradição, qualidade e design no mercado nacional. A Natan tem o DNA voltado para a classe A e queremos manter isso disse o CEO Renato Balbi. A Monte Carlo continuará dedicada a seu posicionamento atual, mais focado no luxo acessível, na joia que as pessoas desejam ter, contemplando classes A e B.

O plano de negócios para coordenar esse retorno da Natan às vitrines ainda está sendo concluído. Já está decidido, contudo, disse Balbi, que os negócios serão iniciados pelos relógios da marca. O produto será comercializado pelo site e nas lojas da Monte Carlo Joias. Outra opção em análise seria vender o item também em redes parceiras da joalheria carioca, que conta com 36 lojas no eixo Rio-São Paulo.

Num segundo momento, nós vamos resgatar o portfólio de joias da Natan. Haverá peças que foram símbolo da marca e também novas criações. Vamos deslocar parte da equipe própria da Monte Carlo para cuidar disso. As vendas de joias deverão ter início pelo site para, em seguida, implementarmos a rede de lojas da Natan explicou Balbi.

A inauguração de lojas físicas está prevista para começar no fim do ano que vem.

A marca Natan foi comprada por um quarto do valor apontado em avaliação feita a pedido da Justiça em fevereiro, que foi de R$ 4 milhões. É cifra muito inferior aos R$ 62 milhões estimados no pedido de recuperação judicial da empresa.

Em 2007, a Natan deu início a um processo de reestruturação do negócio, com a ajuda de uma consultoria. A meta era profissionalizar a gestão, passando o comando do grupo para um executivo de mercado. Os esforços não tiveram o resultado esperado e, em março de 2013, a Natan fechou suas duas últimas lojas. Um par de meses depois, com autorização judicial, reabriu a unidade do shopping Rio Design Barra para liquidar o estoque de joias no varejo.

IMÓVEL DA NATAN EM IPANEMA PODE SER VENDIDO

O juiz Fernando Viana vai analisar agora a legalidade da venda do imóvel que abrigava a loja da Natan em Ipanema. Ele está avaliado em R$ 20 milhões. Os bens pessoais do fundador da rede, Natan Kimelblat, morto no ano passado, também poderão ser incorporados ao processo de falência da joalheria.

A Monte Carlo Joias não tem interesse em adquirir o prédio da Natan na Zona Sul do Rio, afirmou o CEO da companhia.

 

CLIQUE AQUI PARA BAIXAR A ATA DE LEILÃO.

 

Notícia publicada em 15/10/2014.

Fonte: Jornal EXTRA.




Rua da Assembléia 61, 4°, 12° e 13º andares - Centro - Rio de Janeiro - RJ
CEP: 20011-001 Telefone - fax - pabx: 55 (21) 2215-8470
Casaes & Almeida Advogados Associados
Todos os direitos reservados
Desenvolvido por Unlock Sistemas